Brasileiro vence concurso internacional de fotografia da natureza

vemvercidade 18 Nov, 2017 11:03 - Atualizado em 18 Nov, 2017 11:10 Do Correio*
Parque das Emas (GO), 2016
Marcio Cabral Parque das Emas (GO), 2016

Um tamanduá-bandeira ‘jantando’ cupins bioluminescentes durante a noite, no Parque Nacional das Emas (GO), foi a foto vencedora da categoria “Animais em seus ambientes” do Wildlife Photographer of the Year 2017, um dos principais concursos mundiais de fotografia de natureza. O autor do registro foi o brasiliense Marcio Cabral. O anúncio foi realizado em 18/10, no Museu de História Natural de Londres, organizador da competição.

Amante da natureza e geógrafo por formação, Cabral visitou o parque durante cerca de três anos à espera das condições adequadas para fazer a foto. Depois de alguns dias de chuva, um tamanduá atacou o cupinzeiro por tempo suficiente para que o profissional fizesse uma única imagem de longa exposição.

"Gosto de natureza, de paisagens, imagens panorâmicas, em 360°. Com o avanço da tecnologia, os registros ficam cada vez mais realistas, praticamente realidade virtual”, afirma o fotógrafo. Antes da atual conquista, a mesma fotografia, batizada de “The Night Raider”, já havia faturado outros quatro concursos internacionais.

No ano passado, uma foto do geógrafo foi eleita pelo Guinness World Record como a maior foto panorâmica subaquática do mundo. O registro, no rio Sucuri, em Bonito (MS), é de fevereiro de 2015 e tem 495 megapixels. “A fotografia digital exige atualização e estudo constante do profissional, porque, do contrário, o fotógrafo fica para trás”, comenta.

Chapada

Em conversa com o CORREIO Sustentabilidade, por telefone, Cabral relembra que esteve na Bahia em 2009, quando fotografou paisagens de Salvador como a Baía de Todos os Santos, Igreja de São Francisco, no Pelourinho, e o Farol da Barra. Mas foi a Chapada Diamantina que encantou mais o premiado fotógrafo, cujo trabalho já foi publicado em várias revistas de turismo e livros.

“No ano que vem devo voltar a Chapada Diamantina, provavelmente entre abril e maio, onde devo ficar pelo menos um mês para tirar fotos em nível de concurso. Para participar de competições em nível internacional é preciso evitar clichês e apresentar algo inovador, por isso, pretendo dormir em cima dos morros por alguns dias, aproveitar horários que os turistas não estão. Tem de ser algo bem hard”, projeta o fotógrafo.

Na opinião de Cabral, entre os lugares da Bahia considerados muito bons para fotografar estão: Itacaré, Morro de São Paulo, Boipeba, Barra Grande, Chapada Diamantina, Correntina, Bom Jesus da Lapa e São Desidério. “Abrolhos é um lugar muito interessante que ainda não fui”, conta.

Sobre os planos para o futuro, Marcio Cabral diz que pretende retornar, ainda neste ano, ao Parque das Emas, além de também visitar a cidade de Bonito (MS). Para 2018 ele mira a Patagônia, na Argentina. E é claro: as cachoeiras, morros e grutas da Chapada Diamantina.

Veja, abaixo, algumas das fotografias feitas por Márcio Cabral:




Noticias relacionadas