Mais de 300 prefeitos baianos são esperados em mobilização no CAB

vemvercidade 25 Out, 2017 12:49 - Atualizado em 25 Out, 2017 12:53 Bahia Notícias

Cerca de 300 prefeitos são esperados no Movimento Pró-Município, evento que busca chamar a atenção para pautas prioritárias e para crise que assola os municípios baianos. Durante a quinta-feira (26), centenas de prefeituras baianas fecharão as portas e manterão apenas os serviços essenciais em prol do Movimento.

Organizado pela União dos Municípios da Bahia (UPB), a concentração do evento ocorrerá às 8h, na sede da UPB. Às 8h30 os gestores seguirão em direção a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (Alba), onde acontecerá a sessão especial para discutir demandas dos municípios baianos. A programação continua pela tarde com o diálogo municipalista com a Confederação Nacional de Municípios (CNM), que ocorre às 13h30 na sede da UPB. 

O tema será “Boas Práticas de Consorciamento em Saúde e Resíduos Sólidos”. Será entregue a Pauta prioritária aos Senadores e Deputados Federais da Bahia, que conta com os principais interesses municipalistas. Entre eles estão a edição da Medida Provisória para garantir o Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM), no aporte de R$ 4 bilhões, a fim de possibilitar que as administrações municipais fechem as contas do ano de 2017; a garantia da revogação do gravíssimo corte de quase 100% no orçamento do Sistema Único da Assistência Social (Suas), para 2018, que comprometerá a manutenção de serviços importantes como CREAS, CRAS, Bolsa Família, etc e o reajuste dos repasses dos Programas Federais e Estaduais.  

“Agora é a hora. Vamos sair da porta da UPB e contamos com a adesão de todos. Esse é o movimento dos municípios. Tenho certeza que sairá resultado desta ação”, disse o presidente da UPB e prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro. Às 16h ocorre o último diálogo da tarde, com o tema “Modernização da Gestão Pública: Consórcios e Ferramentas para Soluções Tecnológicas”. 

O Movimento Pró-Município ocorrerá em todos os estados do país e tem apoio da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). 




Noticias relacionadas