Serrinha: Homem que matou grávida por ciúmes pode pegar até 30 anos de prisão

vemvercidade 19 Dez, 2017 23:39 - Atualizado em 19 Dez, 2017 23:49
Adilson foi representado por homicídio qualificado e pode pegar pena máxima de até 30 anos de prisão.
Reprodução Adilson foi representado por homicídio qualificado e pode pegar pena máxima de até 30 anos de prisão.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA), por meio da promotora de Justiça Núbia Rolim dos Santos emitiu um parecer ratificando a representação da prisão preventiva de Adilson Prado Lima Júnior, acusado de assassinar a jovem grávida Daiane Reis em Serrinha neste fim de semana (leia aqui). Adilson foi representado por homicídio qualificado e pode pegar pena máxima de até 30 anos de prisão. 

Segundo a advogada criminalista Adriana Machado o caso pode ir a júri popular e dificilmente o réu pagará máxima.  Isso porque Adilson pode ser julgado como réu primário e ainda pode alegar que estava fora de si por ciúmes ou uso de alguma substância química. 

Ao site Acorda Cidade, a promotora do caso declarou que “a continuação da prisão faz-se necessária a fim de garantir a ordem pública diante da gravidade concreta do delito”. “O acusado utilizou de dissimulação para levar sua companheira, grávida de oito meses, para um local ermo, onde executou o crime, circunstância que revela a periculosidade social do recorrente”, afirmou a promotora ao justificar a representação.




Noticias relacionadas